ÁUDIO! Luiz Couto quer a Polícia Federal investigando atentado contra Gervásio Bernardo e pede que autores e mandantes sejam presos

Em declaração exclusiva ao programa Cidade Notícia (Líder FM), o deputado federal Luiz Couto (PT) falou a respeito do inquérito que apura as ameaças e o atentado à bala ocorridos em setembro de 2017 contra o servidor do SAMU, Gervásio Bernardo Abrantes, atualmente integrado ao PROVITA (Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas).

Dois meses depois de sofrer um disparo de arma de fogo e agressões à pauladas quando chegava em casa, a Polícia Civil desencadeou a operação Mordaça e na ocasião apreendeu armas e munições e prendeu alguns suspeitos do atentado, inclusive funcionários da Secretaria de Saúde, alvo das denúncias de caixa 2 e corrupção, promovidas pelo servidor municipal.

O também titular da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, cobrou que a Polícia Federal identifique as pessoas que praticaram os crimes. “É preciso que a Polícia Federal entre no circuito para investigar e saber quem são essas pessoas e que leve a justiça e que possam pagar por esse crime hediondo”, falou. Couto também concorda que “infelizmente esse é o preço que se paga por denunciar crimes contra a administração pública”.

Veja mais:
QUEM DIRIA! Gervásio Bernardo e Fábio Tyrone, de aliados a desafetos, frente a frente em audiência judicial dia 19

Ao radialista Leonardo Alves, o parlamentar disse que está ciente de todas as informações sobre o caso de repercussão estadual e cobrou que os mandantes sejam identificados também. “Tem gente que manda, contrata o pistoleiro pra fazer as coisas, mas tem um mandante por fora. Então é preciso identificar quem são os mandantes que determinaram a morte do companheiro Gervásio”, pontuou.

OUÇA!

Couto finalizou a conversa dizendo que acredita nas declarações do samuzeiro contra a administração municipal de Sousa. “Quando ele faz uma denúncia é porque ele sabe que recursos públicos foram desviados e que isso não pode acontecer”.