ESCUTE! Universitária do Sertão paraibano relata situações de preconceito ao participar de concurso em Minas Gerais

A estudante do curso de engenharia do IFPB/Cajazeiras-PB disse nesta quarta-feira (25) ao programa Cidade Notícia (Líder FM) que foi vítima de preconceito em duas ocasiões, simplesmente por ser nordestina. Kátia Kaline Pinheiro, de 18 anos, consagrou-se campeã de um concurso de oratória realizado no último final de semana nas cidades de Ouro Preto e Mariana, em Minas Gerais.

A universitária que é filha do jornalista, publicitário e secretário de Saúde, Cristóvão Pinheiro e da Ouvidora da Saúde, Marileide Pinheiro, ambos de Cajazeiras, revelou em detalhes que o primeiro constrangimento aconteceu na chegada ao aeroporto mineiro quando um aluno do estado do Paraná teria lhe abordado e questionado se o seu sotaque [Paraíba] não iria atrapalhar na hora do discurso. “Olha companheiro, eu acho que quando você tem um bom discurso não há nada que atrapalhe”. Respondeu a sertaneja.

Segundo caso

Kaline Pinheiro frisou que a segunda abordagem teria lhe deixado um tanto desestabilizada por ter ocorrido meia hora antes de uma apresentação. Mesmo assim, a cajazeirense se manteve firme, tanto para responder a altura a provocação, bem como para vencer a competição.

O ataque partiu de um concorrente gaúcho, o qual se referiu aos nordestinos mão-de-obra barata no Sul e no Sudeste, fazendo ainda alusão ao fato de que 70% do PIB brasileiro esteja concentrado nestas duas regiões. Em ‘cima da bucha’, a paraibana retrucou: “meu anjo, você quer que eu traga a maquineta para você passar no crédito ou no débito essa vergonha?”.

Veja mais: Universitária do Sertão paraibano ganha Concurso Nacional de Oratória em Minas Gerais ao representar três estados

Detalhe: nenhum dos dois unviersitários do Sul chegaram a fase final do concurso. “E quando eu senti tudo isso (preconceito), me deu mais garra e mais vontade de mostrar pra eles que quando a gente chega, nós não somos essa mão de obra barata”. Desabafou.

Temas defendidos

Para vencer o concurso promovido pelo Rotary Club, através do programa Interact Brasil, Kaline passou por duas etapas optando falar sobre Educação de um modo amplo e Educação para refugiados, até chegar a final, por sorteio, elaborou um projeto para novamente defender o tema Educação.

OUÇA ÁUDIO: