ÁUDIO E VÍDEO: Família de paciente que deu a luz no chão questiona parto humanizado no Hospital Regional de Sousa. Tia e mãe pedem providências

Nesta quinta-feira (19), um dia após a publicação de um vídeo mostrando um parto realizado na ala infantil do Hospital Regional de Sousa em que a mãe dá a luz no chão na sala de pré-parto, a família se pronunciou sobre o caso durante o programa Cidade Notícia, da rádio Líder FM. Uma tia e a mãe do bebê do sexo feminino se pronunciaram.

VÍDEO! Mãe dá a luz no chão no Hospital Regional de Sousa. Conselho Tutelar pede providências

VÍDEO: médica esclarece sobre caso da mãe que deu a luz no chão em Sousa. “É procedimento de parto humanizado” 

O que diz a mãe?

A paciente em questão é a senhora Jussara Maria da Silva, residente no bairro Jardim Santana. Por telefone, ela disse que chegou cedo ao Hospital Regional sentindo fortes dores, mas foi aconselhada pela equipe a aguardar para que o parto fosse normal. “E eu pedindo a ela por tudo no mundo pra me tirar dali que eu ia morrer e ela dizendo que não”. Contou.

Sobre o procedimento, Jussara revelou que foi ajudada pela irmã e por uma senhora que acompanhava outro paciente. Depois disso, a mulher falou que a médica chegou pedindo pra ela se levantar. “Levi como é que eu ia me levantar com a metade da minha filha nascida”? Questionou.

A mãe ainda disse que há imagens em outro vídeo da médica perguntando que ela prefere ficar sentada ou deitada. “E com toda sujeira, né, porque você sabe que num trabalho de parto há sujeira, correndo o risco de pegar uma infecção hospitalar, tanto eu como minha filha no chão do hospital”. Desabafou.

Jussara Maria finalizou dizendo que vai procurar os direitos para que não aconteça com outras pessoas.

Confira áudio:

Depoimento de uma tia

Ao vivo, nos estúdios, a tia do bebê contou que as condições do parto da irmã foram bem diferentes das narradas pela médica Hevenny Carvalho nesta quarta-feira ao Blog do Levi. A senhora Jaqueline Thomaz contou que a paciente sentiu fortes dores antes do procedimento e a médica pediu para que ela segurasse o bebê. “Ela queria que fosse cesariana, mas pegou uma médica que não gosta de fazer cesária, aí no fim aconteceu isso”. Disse.

Jaqueline revelou também que pretende levar o caso adiante. “Por mim não, por minha irmã eu vou até o fim porque o que aconteceu é lamentável”. Perguntada se o hospital falhou, a tia foi direta: “certeza”.

Assista ao vídeo